marca nova ecomodas.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vic Benedett

Vocalista do Pier49 Music

Família: Bignoniaceae.

 

Nome vulgar: Ipê ovo de macuco, Piúva amarela, Tamurá tuíra, Ipê pardo, Ipê do cerrado, Pau d'arco amarelo, Aipê, Ipê-amarelo-da-mata, Ipê-amarelo-paulista, Ipê-do-campo, Ipê-do-morro, Ipê-tabaco, Pau-mulato, Ipê-amarelo-cascudo.

 

Ocorrência natural: Mata atlântica e Amazônia.

 

Origem: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espirito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, São Paulo, Sergipe, Tocantins.

 

 Locais de Ocorrência: Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sudeste.

 

Altura: Atingi até 30m .

 

Tronco: Tronco tortuoso com casca grossa e podendo chegar a 60 centímetros de diâmetro.

 

Folhas: As folhas, deciduais, são opostas, digitadas e compostas. A face superior destas folhas é verde-escura, e, a face inferior, acinzentada, sendo ambas as faces tomentosas, possuindo de 7 a 18 cm de comprimento por 2 a 6 cm de largura.

 

Flores: O ipê-amarelo possui flores melíferas e que maduras podem ser utilizadas na alimentação humana,sendo elas formadas em cachos.

 

Fruto: Legume deiscente.Não comestível.

 

Utilidade: Arborização urbana e serraria.