Nome Científico: Erythrina speciosa.

 

Família: Fabaceae-Faboideae.

 

Nome vulgar: Mulungú do litoral, eritrina candelabro, suinã vermelho, eritrina mulungú, sananduva.

 

Ocorrência natural: Mata atlântica.

 

Origem: Espirito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo.

 

Locais de Ocorrência: Sudeste, Sul.

 

Altura:  Até 5m.

 

Tronco: Tronco de 15-25 cm de diâmetro, revestido por casca pardacenta com ritidoma estriado-lenticelado.

 

Folhas: Folhas alternas espiraladas, estipuladas e estipeladas, compostas trifolioladas; folíolos ovalados a largamente ovais, cartáceos, lustrosos na face adaxial, com nervuras primárias e secundárias proeminentes na face abaxial, de 15-28 cm de comprimento.

 

Flores: Inflorescências em racemos terminais curtos; flores vermelhas, zigomorfas, diclamídeas e anisostêmones.

 

Frutos: Frutos vagens cilíndricas deiscentes, cinza-escuro, com sementes rajadas.

 

Utilidade:  Nascente, Arborização urbana, Mata ciliar.