Nome Científico: Schizolobium parahyba.

 

Família: Fabaceae-Caesalpinioideae.

 

Nome vulgar: Guapuruvu, guapurubu, ficheira, bacurubu, guapiruvu, garapivu, guarapuvu, pataqueira, pau de vintém, bacuruva, birosca, bandarra, faveira.

 

Ocorrência natural: Praças, parques e jardins.

 

Origem: Bahia, Espirito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

 

Locais de Ocorrência: Centro-Oeste, Nordeste, Sudeste, Sul.

 

Altura: De 25 a 30 metros.

 

Tronco: Tronco de 60-80 cm de diâmetro, revestido por casca fina com ritidoma escamoso e marcado pelas cicatrizes foliares.

 

Folhas: Folhas aglomeradas no ápice dos ramos, aloternas espiraladas, compostas bipinadas, de 80-100 cm de comprimento, com 30-50 pinas opostas; foliólulos em número de 20-50 por pina, oblongos, glabros, de 2-3 cm de comprimento por 0,3-0,7 cm de largura.

 

Flores: Flores amarelas, vistosas, bissexuadas, diclamídeas, dispostas em longos racemos axilares e subapicais.

 

Frutos: Frutos sâmaras paleáceas deiscentes, com uma única semente muito dura e protegida por envelope fibroso.

 

Utilidade: Nascente, Arborização, Mata Ciliar, Serraria.